Ponto – Caboclos


Chamada

“Barra-vento”
Portão da aldeia abriu
Para os caboclos passa (bis)
E hora hora hora caboclo
E hora de trabalhar (bis)


“Barra-vento”
Arariboia, sucuri, dendê (bis)
Onde estar este caboclo
Que não quer descer (bis)


“Barra-vento”
Eeeee boca da mata
Deixe esse caboclo passa boca da mata (bis)
Mata virgem mata cerrada
Eeeee mata serrada (bis)


“Congo ou Ijexa rápido”
Seu….. Na mata ele e o rei
Seu…..na mata ele e o tatá (bis)
Ele é o reeei ele é o tatá (bis)
La na mata sua flecha voa (bis)
Voa quando sobe quando desce mata (bis)


“Barra-vento”
Caboclo La da samambaia aonde estas que não vem cá (bis)
Mas ele mora na boca da aldeia reia reia reia (bis)


“Angola”
Chama os caboclos da mata
Para trabalhar
Se a mata e muito alta
Caboclo vai derruba

“Angola”
Vestimenta de caboclo
e samambaia, samambaia
samambaia
venha caboclo não me atrapalha
saia do meio da samambaia


“Angola”
Eu sou folha seca, oi, paranga
Eu sou do congá, oi paranga
Eu sou folha seca, oi paranga
Vim do jurema
Eu sou da maata
Oi que mata e a sua?
Onde pia a cobra o sabia
E clareia a lua


“Ijexá”
A estrela La no céu brilhou
E a mata estremeceu
Aonde anda o capangueiro da jurema
Que ate agora não apareceu


“Angola”
Quem manda na mata e oxossi
Oxossi e caçador
Oxossi e caçador
Eu vi meu pai assobiar
ele mando chamar
e na aruanda EEEEH!
e na aruanda AAAH!
(…….) de umbanda
ele mando chamar


Sustentação
“Congo”
Eu atirei eu atireeeei
Eu atirei ninguém viu
So o ……. sabe onde flecha caiu


“Barra-vento”
Cobra coral sua banda esta em festa, o céu e o mar cantam em seu louvor.
Olha a cobra coral pio pio
Olha a cobra coral pio pio
Cobra coral estou cantando em seu louvor


“Barra-vento”
Eu estava na jurema Na jurema eu estava
Eu tava na jurema embaixo do jurema (bis)
Jurema jurema jurema juremeira (bis)


“Angola Curinga”
Reeeeeeeee rere rererererea
Reeerere caboclo (……) no conga
Sarava seu (…….)
ele e o rei das matas
a sua botoca atira caboclo
sua flecha mata
rerere


“Barra-vento”
Pisa caboclo pisa aki que eu piso cá
A pisada do caboclo faz puera levantar
Como e bonito a pisada do caboclo
Ele pisa na areia no rastro do povo


“Barra-vento”
Pisa caboclo pisa aki pisa ligeiro
Quero ver todos os caboclos
pisando nesse terreiro


“Barra-vento”
Como e bonito a pisada do caboclo
Ele pisa na areia no rastro do povo


“Barra-vento”
Ele vem vindo pelo rio de pontas
Vem passiando por aquela rua
Olha como e lindo
Seu (…..) no clarão da lua


“Ijexa”
Ponto riscado
Caboclo (a) afirmar seu ponto aqui neste terreiro (bis)
A meia-noite da lua, ao meio-dia do sol


“Nagô”
Ponto riscado
Caboclo, caboclo firma o ponto aqui pra nos
Se meu pai e rei vos e orixá


“Angola”
Se a coral e sua cinta
A jiboia e sua laça
Oiiii que zoa que zoa que zoa eee
Caboclo mora na mata


“Angola”
Oi salve o sol salve a estrela guia
Sarava seu ventania
Umbanda vamos saldar
Oi salve a folha da macaia na jurema
Salve Cabocla de pena filha de Tupinamba
A lua brilha iluminando o mundo inteiro
Clareando o terreiro para caboclo passar
Kio kio oke okio Kia
Salve a folha da macaia
Umbanda vamos saldar
Firmou seu ponto na raiz da orucaia
Jupiri cabocla yara
Vieram pra confirmar
Bendito seja o nome desse caboclo
Sarava arranca-toco
Sarava pai oxalá
Cabocla arruda quem chego neste terreiro
Junto com o seu flecheiro
Umbanda vamos saudar
Seus filhos vibram com o brado do caboclo
Sarava arranca-toco arruda e tupinamba


“Ijexá”
Seu caçador na beira do caminho
Oi não me mate essa coral na estrada
Ela abandonou sua chopana caçador
Foi no romper da madrugada


“Ijexá”
Cabocla Iracema

Cabocla Iracema que veio neste terreiro
Salve os seus cambones
os caboclos flecheiros

Ela veio La da mata com seu arto na Mao
atabaque esta tocando para sua saudação

Cabocla Iracema tem pena de mim
chega de sofrer e triste viver assim

Em um patuá com arruda e guine
Pra afastar o mal eu uso e tenho fé

o Iracema vamos todos saravá
vou riscar o seu ponto nesse congá


“Nagô”
Ponto riscado

Caboclo, caboclo firma o ponto aqui pra nos
Se meu pai e rei vos e orixá


“Angola”
Se a coral e sua cinta
A jiboia e sua laça
Oiiii que zoa que zoa que zoa eee
Caboclo mora na mata


Subida

“Ijexa”
Caboclo vai embora pra cidade da jurema
Oxalá ta lhe chamando na cidade da jurema
Ele vai ser coroado na cidade da jurema
Com a coroa de aieeu


“Nagô”
O seu ponto e bem seguro
E duro de bambear
Os caboclos vão embora à fé de pai Oxalá
Oooo eles vão girar
Saudando Oxossi meu pai oxalá


“Angola”
É madrugada
A sucuri piou
Quando vem rompendo aurora
Os caboclos dessa banda
dão adeus e vão se embora
É madrugada
Olelê olalá …. os caboclos vão embora
Olelê olalá ….eles vão e tornam a voltar
É madrugada