Ponto – Zé Pilintra


Chamada

"Congo"
Zé Pilintra, Zé Pilintra
Boêmio da madrugada
Vem na linha das Almas
E também na encruzilhada

O amigo Zé Pilintra
Que nasceu lá no sertão
Enfrentou a Boêmia
Com seresta e violão

Hoje na lei de Umbanda
Acredito no Senhor
Pois sou seu filho de fé
Pois tem fama de doutor

Com magias e mirongas
Dando forças ao terreiro
Saravá seu Zé Pilintra
O amigo verdadeiro

Zé Pilintra, Zé Pilintra
Boêmio da madrugada
Vem na linha das Almas
E também na encruzilhada (bis)


"Congo "
Oi, Zé quando for pra lagoa 
Toma cuidado, oi Zé com o balanço da canoa 
Oi, Zé faça o que quiser 
Só não maltrate o coração desta mulher 
Oi, Zé faça o que quiser 
Só não maltrate o coração desta mulher 

Oi, Zé quando for pra lagoa 
Toma cuidado, oi Zé com o balanço da canoa 
Oi, Zé faça o que quiser 
Só não maltrate o coração desta mulher 
Oi, Zé faça o que quiser 
Só não maltrate o coração desta mulher