Ponto – Nanã de Buruquê


Atraca, atraca que aí vem Nanã /ea
Atraca, atraca que aí vem Nanã /ea

Atraca, atraca que aí vem Nanã /ea
Atraca, atraca que aí vem Nanã /ea

É Nanã e Oxum é quem vem saravá/ ea
Atraca, atraca que aí vem Nanã /ea

É Nanã e Oxum é quem vem saravá/ ea
Atraca, atraca que aí vem Nanã /ea


Nos pés de Nanã eu vou rezar
E levo flores pro jardim de Oxalá. (bis)

Deusa tão bonita / De tanto saber
Bordou o seu vestido com a cor do amanhecer

E nas águas cristalinas
O sol também brilha
E Nanã é comanda
Essa força que ilumina

Salubá Nanã / Nanã Buruquê
Proteja a minha vida / Não me deixe sofrer. (bis)


Vovó Nanã que vem de longe
Curvada pelo peso da idade

Vovó Nanã que vem de longe
Curvada pelo peso da idade

Ela nos traz experiência
Ela pratica a caridade

Ela nos traz experiência
Ela pratica a caridade

Com sua dança/nos embala a caminhar
Com seu abraço seu carinho vem nos dar

Ela é Nanã Nanã de Buruquê
Linda Senhora que veio nos proteger

Ela é Nanã Nanã de Buruquê
Linda Senhora que veio nos proteger


São flores Nanã, são flores.
São flores Nanã Buruquê.
São flores Nanã, são flores.
Do seu filho Obaluaê. (Bis)
Nas horas de agonia,
Quem sempre vai me valer,
É seu filho Nanã,
É meu pai,
Ele é Obaluaê. (Bis)
São flores…


Nos pés de Nanã eu vou rezar
E levo flores pro jardim de Oxalá (bis)
Deusa tão bonita / De tanto saber
Bordou o seu vestido com a cor do amanhecer
E nas águas cristalinas, o sol também brilha
Nanã é quem comanda, essa força que ilumina
Salubá Nanã / Nanã Buruquê
Proteja a minha vida / Não me deixe sofrer (bis)