Ponto – Oyá


O tempo virou,
Lá no fim do horizonte.
Foi um lindo clarão,
É Oyá quem chegou.
Ela vem com sua espada,
Acompanhada das guerreiras,
Vem fazer cumprir, Oyá,
As leis de Oxalá. (Bis)


Deixa o mundo girar,
Descarrega este terreiro no tempo,
Minha Mãe Oyá. (Bis)

Quando chega no terreiro,
Vem pra nos purificar,
O sentimento da fé,
Os filhos desse Congá.

Deixa o mundo girar,
Deixa o mundo girar,
Descarrega este terreiro no tempo,
Minha Mãe Oyá. (Bis)

Vem na onda, faz a ronda,
Pra seus filhos equilibrar,
Irradia a sua fé,
Abençoa este Congá.


Ela é Oyá
Olha que o céu clareou
Quando o dia raiou
Fez o filho pensar

A mãe do tempo mandou
A nova era chegou
Agora vamos plantar

Do Humaitá Ogum bradou
Senhor Oxóssi atinou
Iansã vai chegar

O ogan já firmou
Atabaque afinou
Agora vamos cantar

Ah! Eparrei!
Ela é Oyá! Ela é Oyá!
Ah! Eparrei!
É Iansã! É Iansã!
Ah! Eparrei!

Quando Iansã vai pra batalha
Todos cavaleiros param
Só pra ver ela passar.

Ah! Eparrei!
Ela é Oyá! Ela é Oyá!
Ah! Eparrei!
É Iansã! É Iansã!
Ah! Eparrei!

Quando Iansã vai pra batalha
Todos cavaleiros param
Só pra ver ela passar.